Publicidade

Últimas Notícias
recent

Grupo Terrorista antifas, ataca na Alemanha durante reunião da cúpula do G20 [VÍDEO]


 


Protestos violentos se repetiram nesta sexta-feira (7) em Hamburgo, na Alemanha. Quase 200 policiais ficaram feridos e mais de 80 pessoas acabaram presas no dia de abertura da reunião do G20, o grupo dos países mais industrializados do mundo.
As manifestações violentas fizeram Hamburgo amanhecer em chamas, no mesmo momento que quando chefes de Estado e de governo desembarcavam para o G20. De novo, manifestantes queimaram carros e enfrentaram a polícia num protesto contra o capitalismo.

Às 6h30, o presidente Michel Temer chegou ao hotel dizendo que crise econômica é um problema de outros países.

“Crise econômica no Brasil não existe. Vocês têm visto os últimos dados positivos, estamos crescendo emprego, indústria, agronegócio”, disse Temer.

O primeiro encontro de Temer foi no grupo dos Brics, com Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul se comprometendo a promover o livre comércio e lutar em conjunto pelo Acordo do Paris sobre o clima.

Às 9h30, a anfitriã Angela Merkel recebeu um por um os líderes dos 20 países que, juntos, representam mais de 80% da economia global. O primeiro encontro foi sem assessores.

Só presidentes e primeiros-ministros. E eles assinaram uma declaração se comprometendo a combater o terrorismo. Entre os mais de 20 pontos do texto, defenderam que é preciso atacar as pequenas células, que usam pouco dinheiro e têm pouco planejamento, mas causam danos enormes e cada vez com mais frequência.

ASSISTIR VÍDEO:

 

 Àquela altura, nas ruas de Hamburgo, já eram 160 policiais feridos e 60 manifestantes presos. E as autoridades alemãs admitiam que era preciso reforço. O número de policiais subiu para quase 20 mil; eles foram acusados de usar força excessiva, mas continuaram jogando duro, alegando que era isso ou perder o controle.

Na chamada “foto de família” do G20, por uma regra de antiguidade no cargo, Donald Trump ficou meio de lado, retratando bem o incômodo que ele vem causando, principalmente, entre os colegas europeus.

A primeira-ministra da Alemanha passou o dia preparando o terreno para que os líderes do G20 escrevam um documento conjunto, consensual, com ênfase no comércio internacional e no meio-ambiente. A resistência do presidente americano Donald Trump dificulta a missão de Merkel, mas ela não desiste: diz que todos precisam ceder em alguns aspectos, tentando que até o fim do encontro, no sábado (8), o abismo que surgiu com a chegada de Trump possa ser substituído por alguma esperança de aproximação.

O primeiro dia de reuniões teve ainda demonstrações de preocupação com os testes nucleares da Coreia do Norte, e uma reunião sobre o meio-ambiente. Mas Donald Trump, logo ele que decidiu abandonar o acordo sobre o clima, abandonou a reunião no meio, pois tinha compromisso mais importante.


Via: Oglobo



Receba Nosso Conteúdo Exclusivo


Notícias Urgentes, Mensagens de Dobson Lobo e etc Uniaodoslivres

***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***
Tecnologia do Blogger.