Publicidade

Últimas Notícias
recent

EUA enviam bombardeiros à Península da Coreia


Em resposta a teste de míssil intercontinental pela Coreia do Norte, aviões dos Estados Unidos, da Coreia do Sul e do Japão simulam ataques. Líderes dos três países classificam manobra norte-coreana de ameaça global.

O Exército dos Estados Unidos enviou dois bombardeiros para a Península da Coreia nesta sábado (08/07) para participar de exercícios ao lado de aviões de combate da Coreia do Sul e do Japão, em resposta ao mais recente teste de míssil norte-coreano. Nesta sexta-feira, autoridades americanas descreveram a missão como uma demonstração de força e unidade por parte das três nações aliadas, em reação ao programa nuclear e de mísseis balísticos de Pyongyang.

"As ações da Coreia do Norte são uma ameaça para nossos aliados, parceiros e nossos países", disse Terrence O'Shaughnessy, comandante das Forças Aéreas dos EUA, em comunicado. "Deixe-me ser claro: se formos chamados, estamos treinados, equipados e prontos para liberar a capacidade letal completa de nossas forças aéreas aliadas." Segundo o comunicado, os dois bombardeiros americanos do tipo B-1B partiram da base de Anderson na ilha de Guam, no oeste do Pacífico, e conduziram uma missão de dez horas com aviões de combate sul-coreanos e japoneses na Península da Coreia. Os bombardeiros simularam ataques de precisão em território sul-coreano, informou um porta-voz das Forças Aéreas do país asiático à agência local Yonhap. 

As manobras fazem parte de "uma firme resposta à série de lançamentos de mísseis balísticos por parte da Coreia do Norte", segundo a mesma fonte. Os B-1B Lancers sobrevoaram o Mar do Japão, se aproximaram da fronteira que delimita as duas Coreias e posteriormente se uniram a caças sul-coreanos F-15K e F-16 na província de Gangwon, disse o porta-voz. A Coreia do Norte lançou na terça-feira o seu primeiro míssil balístico intercontinental. Designado Hwasong-14, o míssil alcançou uma altitude máxima de 2.802 quilômetros e percorreu 933 quilômetros em 39 minutos. 

"Pressão máxima" Na quarta-feira, a Coreia do Sul e os Estados Unidos realizaram testes militares conjuntos com mísseis balísticos em direção ao Mar do Japão, em resposta ao lançamento pelo regime norte-coreano. Reunidos por ocasião da cúpula do G20, em Hamburgo, na Alemanha, o presidente americano, Donald Trump, e os líderes da Coreia do Sul e do Japão emitiram um comunicado conjunto condenando o recente teste de um míssil balístico intercontinental realizado por Pyongyang. 

Eles classificaram a manobra norte-coreana, executada no início da semana, de ameaça global, que exige "pressão máxima" como resposta. Nesta quinta-feira, em visita à Polônia, Trump disse estar cogitando "algumas coisas bem severas" em resposta às ações da Coreia do Norte, sem dar detalhes. 

O Ministério do Exterior norte-coreano afirmou que o míssil intercontinental tem como objetivo superar a hostilidade de Washington e permitir que Pyongyang "atinja o coração dos EUA a qualquer momento"

Via: Uol



Receba Nosso Conteúdo Exclusivo


Notícias Urgentes, Mensagens de Dobson Lobo e etc Uniaodoslivres

***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***
Tecnologia do Blogger.