Publicidade

Últimas Notícias
recent

Suécia arquiva investigação por estupro contra fundador do WikiLeaks

Apesar da decisão, Assange ainda pode ser preso se deixar a Embaixada do Equador em Londres, onde está refugiado desde 2012. Polícia britânica diz ter um mandado de prisão vigente.


A procuradoria sueca afirmou nesta sexta-feira (19) que foi suspensa a investigação preliminar sobre uma acusação de estupro contra o fundador do WikiLeaks. No entanto, Julian Assange, que está refugiado na Embaixada do Equador em Londres desde 2012, ainda não pode deixar o imóvel, porque a polícia britânica tem um mandado de prisão vigente contra ele.
Mais detalhes sobre a decisão da promotora sueca Marianne Ny serão divulgados posteriormente em uma coletiva de imprensa. O advogado de Assange, Per Samuelson, disse que a decisão da Suécia de arquivar a investigação é uma "vitória total", de acordo com a Reuters.
Assange, de 45 anos, buscou refúgio na Embaixada do Equador em Londres depois de esgotar todos os recursos judiciais no Reino Unido. Recluso em um pequeno apartamento, desde 2012 ele teve que se contentar com algumas aparições públicas em sua varanda.
Ele pediu o refúgio a Quito para evitar a extradição para a Suécia, onde respondia pela acusação de estupro que teria ocorrido em 2010. O australiano sempre negou ter cometido o estupro e denunciou que a acusação era uma manobra para que ele pudesse ser extraditado posteriormente aos Estados Unidos.
O fundador do WikiLeaks teme ser julgado nos Estados Unidos pela divulgação, em 2010, 500 mil documentos confidenciais sobre o Iraque e o Afeganistão, assim como 250 mil comunicações diplomáticas.
Em novembro de 2016, após uma série de complicações no processo, Assange finalmente foi interrogado na embaixada de Londres por um promotor equatoriano na presença de magistrados suecos. O australiano reiterou na ocasião que era inocente e que as relações sexuais com a denunciante em Estocolmo foram consensuais.

Ainda pode ser preso

Após a divulgação da decisão da procuradoria sueca de suspender a investigação preliminar, a polícia britânica afirmou que Julian Assange ainda pode ser preso se deixar a embaixada do Equador.
"O Tribunal de Magistrados de Westminster emitiu um mandado para a prisão de Julian Assange depois que ele não se entregou ao tribunal em 29 de junho de 2012", disse a polícia de Londres, em um comunicado.
Por isso, a polícia seria obrigada a executar esse mandado de prisão caso ele deixe a Embaixada, segundo a Reuters.
Via: G1


Receba Nosso Conteúdo Exclusivo


Notícias Urgentes, Mensagens de Dobson Lobo e etc Uniaodoslivres

***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***
Tecnologia do Blogger.