Publicidade

Últimas Notícias
recent

Três pessoas têm suspeita de reação à vacina da febre amarela no ES

Segundo secretário, elas apresentaram sintomas da doença após a vacina.
Elas precisaram ser internadas, e os casos serão investigados.


Três pessoas tiveram suspeita de reação adversa à vacina contra a febre amarela, segundo a Secretaria de Saúde do Espírito Santo (Sesa). Elas apresentaram sintomas da doença e precisaram ser internadas.  Um dos pacientes está em estado grave, e os outros dois, estáveis.
De acordo com o secretário Ricardo Oliveira, as três pessoas são da área rural do Estado. Ele explicou que a suspeita existe porque as pessoas apresentaram os sintomas dias depois de terem sido imunizadas.
“Não está comprovado, mas é uma suspeita, porque elas não tinham o sintoma antes e o sintoma apareceu depois de tomar a vacina. Mas isso já era esperado. É uma vacinação mais complexa”, disse.
Ele explicou que isso pode acontecer mesmo com pessoas que não pertençam ao grupo de contraindicação à dose.
“Essa vacina é um vírus vivo, atenuado, mas é o vírus. Como é o vírus da febre amarela, ele pode, por algum problema, desenvolver a doença”, explicou.
Mortes
Subiu para quatro o número de mortes por febre amarela dentro do Espírito Santo. A informação foi divulgada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), na manhã desta sexta-feira (3). O nome e o sexo das vítimas não foram informados. Outras 12 mortes estão sob investigação, aguardando resultados laboratoriais.
No dia 20 de janeiro, outro capixaba morreu por causa da doença, mas em território mineiro. Foi o pedreiro Albenes da Silva Azevedo, de 33 anos, que faleceu em um hospital de Manhuaçu. De acordo com a Sesa, a morte dele ainda está sendo investigada.
  
A Sesa informou que recebeu 76 notificações de casos suspeitos de febre amarela, mas duas delas foram descartadas.
Do total de 74 casos, 14 foram confirmados para febre amarela silvestre, sendo que quatro evoluíram para óbito, três em Ibatiba e um em Pancas. Oito receberam alta hospitalar e dois estão internados com quadro estável.
Os casos confirmados são de moradores de Ibatiba (7), Baixo Guandu (1), Brejetuba (1), Colatina(1), Conceição de Castelo (1), Itaguaçu (1), São Roque do Canaã (1) e Pancas (1).
Com isso, há 60 casos, sendo oito óbitos, em investigação com quadro indicativo também para leptospirose, febre maculosa, dengue, e outras doenças com sintoma semelhantes.
Vacinas
De acordo com a Sesa, as 300 mil doses de vacina chegaram nesta sexta-feira (3). Elas estão sendo enviadas para as Regionais de Saúde e os municípios poderão retirar na segunda-feira (6).
As outras 500 mil novas doses solicitadas serão enviadas na terça-feira (7), de acordo com o Ministério da Saúde. Essas vacinas serão disponibilizadas para os 60 municípios onde está sendo feita a vacinação cautelar, e para os demais municípios, para quem for viajar para as áreas de risco.
Orientação
A orientação da Sesa é que os municípios que estão realizando vacinação cautelar vacinem primeiro quem mora na zona rural e depois as pessoas que residem na área urbana.
Para o restante do estado, a recomendação de vacinação continua a mesma: apenas pessoas que vão viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata localizadas em áreas de risco para febre amarela, inclusive nestes municípios do Espírito Santo que estão realizando a vacinação cautelar.
Quem for viajar para áreas rurais, a Sesa orienta que utilize roupas que protejam contra picadas de insetos, como blusas de mangas compridas, calças e sapatos fechados, e que use repelente ou vacine-se com no mínimo 10 dias de antecedência, caso seja a primeira dose.
Parceria com os Bombeiros
Um grupo de 55 militares do Corpo de Bombeiros foi capacitado e irá a apoiar a ação de vacinação nos 60 municípios que estão realizando a vacinação cautelar. Os militares são todos da área da saúde, entre eles estão enfermeiros, farmacêuticos e técnicos em enfermagem.
Eles vão oferecer suporte em atividades como triagem da população, registro dos cartões de vacinação, registro dos cartões de vacinação, organização das filas, orientações sobre a vacina e transporte de insumos.
Doação de sangue
O Hemocentro do Estado do Espírito Santo (Hemoes) pede o apoio da população para doar sangue. Quem tomou a primeira dose da vacina contra febre amarela ou a dose de reforço – que é aplicada dez anos após a primeira – deve aguardar 30 dias para doar sangue. Veja onde doar.
Veja todas as recomendações do Ministério da Saúde:
- Crianças de 6 meses a 9 meses de idade incompletos: a vacina é indicada somente em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem inadiável para área de risco de contrair a doença.

- Crianças de 9 meses até 4 anos 11 meses e 29 dias de idade: uma dose aos 9  meses de idade e uma  dose de reforço aos 4 anos de idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.
- Pessoas a partir de 5 anos de idade que receberam uma dose da vacina antes de completar 5 anos de idade: uma única dose de reforço, com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.
- Pessoas a partir de 5 anos de idade, que nunca foram vacinadas ou sem comprovante de vacinação: a primeira dose da vacina e, 10 anos depois, 1 dose de reforço.
- Pessoas a partir dos 5 anos de idade que receberam 2 doses da vacina: nenhuma dose.
- Pessoas com 60 anos e mais, que nunca foram vacinadas ou sem comprovante de vacinação: o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação, levando em conta o risco da doença e o risco de eventos adversos nessa faixa etária ou decorrentes de comorbidades.
    - Gestantes, independentemente do estado vacinal: a vacinação está contraindicada.
    Na impossibilidade de adiar a vacinação, como em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para área de risco de contrair a doença, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação.
- Mulheres que estejam amamentando crianças com até 6 meses de idade, independentemente do estado vacinal: a vacinação não está indicada, devendo ser adiada até a criança completar 6 meses de idade.
Na impossibilidade de adiar a vacinação, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação.
Em caso de mulheres que estejam amamentando e receberam a vacina, o aleitamento materno deve ser suspenso preferencialmente por 28 dias após a vacinação (com um mínimo de 15 dias).
- Viagens internacionais: seguir as recomendações do Regulamento Sanitário Internacional (RSI).
- Viagens para áreas com recomendação de vacina no Brasil: vacinar, pelo menos 10 dias antes da viagem, no caso de primeira vacinação. O prazo de 10 dias não se aplica no caso de revacinação.
Via: http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2017/02/tres-pessoas-tem-suspeita-de-reacao-vacina-da-febre-amarela-no-es.html

Receba Nosso Conteúdo Exclusivo


Notícias Urgentes, Mensagens de Dobson Lobo e etc Uniaodoslivres

***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***


 DOE AGORA

Tecnologia do Blogger.