RELATÓRIO DE GUERRA: Turquia na mira da Russia

Share:

Obama: impedir a escalada entre Rússia e Turquia é uma prioridade-chave



O presidente dos EUA Barack Obama declarou nesta terça-feira (24) que considera como prioridade-chave prevenir uma escalada entre a Rússia e a Turquia após o incidente com o avião russo Su-24, derrubado pela Turquia na Síria.

"Minha prioridade-chave será fazer com que isso não leve a uma escalada. Espero que nesse momento todos os lados consigam dar um passo para trás e definir a melhor forma de manter os seus interesses" – disse Obama durante uma entrevista coletiva após seu encontro com o presidente francês François Hollande em Washington.
Ele disse ainda que os EUA esperam receber informações sobre o incidente com o avião russo Su-24 tanto da Rússia, quanto da Turquia.
"Nós iremos coletar todas as informações. Nós esperamos que os turcos forneçam a informação. Tenho a certeza de que os russos também terão alguma informação. Nós poderemos determinar o que aconteceu usando, inclusive, nossos próprios dados investigativos" – disse Obama.
O avião russo Su-24 foi derrubado na manhã desta terça-feira na Síria, próximo à fronteira da Turquia. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que a aeronave foi abatida sobre o território sírio por um míssil ar-ar lançado a partir de um caça turco F-16. Nas suas palavras, a tragédia do avião russo na Síria representa um "golpe pelas costas" que terá consequências sérias para as relações entre Moscou e Ancara.


Chefe da OTAN pede cautela após Turquia abater caça russo




O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, pediu calma e encorajou conversas diplomáticas entre Rússia e Turquia após a Força Aérea turca derrubar um caça russo Su-24 nesta terça-feira.

Com as tensões em alta após o incidente em que um caça russo foi derrubado pela Força Aérea turca, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, pediu que todas as partes envolvidas no conflito mantenham calma.

"O que estamos pedindo agora é calma. Calma e diplomacia são importantes para resolver esta questão", afirmou em entrevista coletiva em Bruxelas.

Stoltenberg também pediu conversas entre Moscou e Ancara para solucionar a situação. O secretário quer que a comunidade internacional "evite acidentes que saiam de controle."

Os presidentes de Estados Unidos e França adotaram discursos diferentes.

"É muito importante neste momento assegurar que Rússia e Turquia estejam conversando para descobrir exatamente o que aconteceu e tomar medidas para desencorajar qualquer tipo de escalada de tensão", disse Barack Obama.

Stoltenberg, contudo, insiste em afirmar que a OTAN apoia a Turquia e rejeita qualquer hipótese de que o incidente tenha ocorrido além das fronteiras turcas.

"Este evento vai além da luta contra o terrorismo… A perda de hoje é relacionada a uma punhalada nas costas, executada contra nós por cúmplices de terroristas", afirmou o presidente russo, Vladimir Putin.

A Rússia afirma que seus caças jamais entraram no espaço aéreo turco — fato confirmado pelo comando de defesa aérea da Síria — e conduziam operações legítimas na Síria, onde Moscou vem realizando ataques aéreos contra o Estado Islâmico.

Imagens mostram aeronave russa derrubada pela Turquia


A Turquia derrubou um avião militar Su-24 da Rússia.
Militares turcos afirmam que caças F16 derrubaram a aeronave russa depois que ela violou o espaço aéreo da Turquia na fronteira com a Síria. Segundo eles, a aeronave ignorou 10 avisos de que estaria violando os limites do país em cinco minutos.
Moscou negou a invasão ao espaço aéreo da Turquia e disse que o avião foi derrubado por forças em terra, e não no ar.
A mídia turca diz que o avião caiu em território sírio. Imagens mostram a aeronave pegando fogo antes de bater em uma montanha.
Os dois pilotos se ejetaram e saltaram de paraquedas - há informações de que um deles estaria sob custódia de forças de origem turca na Síria.

'Turquia cometeu ato de guerra', diz especialista em leis internacionais


Segundo leis internacionais, derrubar um caça russo em espaço aéreo sírio é um ato de guerra por parte da Turquia, disse à Sputnik o especialista jurídico Alexander Mercouris.

Derrubar o caça russo Su-24 no espaço aéreo sírio foi um ato agressivo que constitui ato de guerra sob leis internacionais, afirmou à Radio Sputnik o especialista jurídico Alexander Mercouris.

"Se a aeronave estava em espaço aéreo sírio, então em termos legais internacionais, trata-se de um ato de guerra porque a Turquia invadiu o espaço aéreo sírio e derrubou uma aeronave dentro da Síria e que operava com permissão do governo sírio", declarou Mercouris.

As ações da Turquia, convocando o embaixador russo e iniciando uma reunião na OTAN em vez de contactar Moscou, são parte da estratégia do governo para reforçar sua posição, com a ciência de que o avião foi abatido em espaço aéreo sírio e não turco, como alegam as autoridades da Turquia.

"Isso, de fato, são os turcos procurando uma cobertura", disse o especialista. "É um reflexo da pressão que o governo turco está sofrendo porque estão vendo sua política na Síria se dissolver."

Embora a Turquia possa esperar manifestações públicas de apoio vindas de seus aliados na OTAN, longe dos microfones os aliados devem expressar suas preocupação com a postura mais agressiva da Turquia.

"Já há preocupação com relação a Erdogan e suas políticas em muitos países. Acredito que isto (o incidente aéreo) só reforçará os temores."

Via: BBC / Sputniknews / Youtube


Receba Nosso Conteúdo Exclusivo


Notícias Urgentes, Mensagens de Dobson Lobo e etc Uniaodoslivres

***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***

Nenhum comentário