Enfermeira da Espanha, primeiro caso de contágio por ebola fora da África

Share:
Foto divulgada pelo Instituto de Doenças Tropicais da Antuérpia, Bélgica, mostra vírus ebola visto pelo microscópio (Foto: Antwerp Institute of Tropical Medicine/AP)

Profissional de 40 anos atendeu o missionário Manuel Garcia Viejo, que morreu dia 25 de setembro por causa da doença

Depois de dois exames positivos feitos em uma enfermeira espanhola de 40 anos, foi confirmado o primeiro caso de ebola transmitido na Europa. A paciente foi contaminada no Hospital Carlos III, de Madri, depois de atender o missionário Manuel Garcia Viejo, que morreu dia 25 de setembro por causa da doença. A confirmação foi feita pela ministra de Saúde da Espanha, Ana Mato. O nome da paciente não foi revelado.
O chefe de Atendimento Primário da região de Madri, Antonio Alemany, afirmou que a mulher apresentou os primeiros sintomas no dia 30 de setembro. Desde então, segundo ele, foi monitorada. Ontem, a enfermeira foi internada no Hospital de Alcorcón, uma cidade próxima a Madri, com febre alta. Ela deve ser transferida ao Hospital Carlos III. De acordo com as autoridades, ela estava de férias desde o dia seguinte à morte de García Viejo e só entrou em seu quarto em duas ocasiões – uma para atendê-lo em vida, e outra após a morte do missionário.
A dúvida agora é como ocorreu o contágio. As autoridades de Saúde convocaram uma reunião de emergência para tratar o primeiro caso de contágio na Espanha, mas descartam erro no procedimento ao lidar com o paciente infectado. Segundo elas, nas duas entradas no quarto do religioso com ebola, a mulher usava a roupa de proteção adequada. A vestimenta é controlada em duas ocasiões, uma pelo profissional que a usa e outra pelo serviço de prevenção do hospital.
Ministra de Saúde da Espanha, Ana Mato, durante conversa com jornalistas nesta segunda-feira (Foto: AP Photo/Paul White)
Em conversa com jornalistas, a ministra disse que foram seguidos todos os protocolos de segurança sugeridos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para situações desse tipo e enviou uma mensagem de tranquilidade à população. "Estamos trabalhando para verificar como ocorreu o contágio", disse. Segundo ela, pessoas que tiveram contato com a enfermeira neste período, incluindo os colegas de trabalho, também estão sendo monitoradas.
No Hospital Carlos III, onde a enfermeira esteve com o missionário, foi atendido também outro paciente com ebola, o missionário Miguel Pajares, que morreu dia 12 de agosto em decorrência da doença. Este é o terceiro caso de ebola tratado na Espanha – os dois missionários morreram – e o primeiro em que o paciente não vem da África. Na semana passada, ocorreu o primeiro diagnóstico de ebola dentro dos Estados Unidos. Thomas Duncan contraiu o vírus na Monróvia, voou para os Estados Unidos, onde começou a apresentar os sintomas.
De acordo com o jornal El Pais, a mulher trabalha há mais de 15 anos no Hospital Carlos III, de Madri. Ela mora em Alcorcón, é casada e não tem filhos.

PARTICIPAÇÃO
Os leitores podem colaborar com o conteúdo do UL enviando notícias, fotos e vídeos
(de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, Envie sua Notícia para uniaodoslivres@hotmail.com
***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***


Via: Época

Nenhum comentário