Profecia se cumprindo? 10 nações árabes se juntam numa coalizão conduzida pelos Globalistas contra o Estado Islâmico

Share:
Isis: Ten Arab Nations Join US-Led Coalition against Islamic State
Estaria a besta islâmica-globalista próxima de se manifestar?
Justamente na mesma época que o Papa Francisco, o possível futuro líder da 'ONU das religiões', estará na Turquia, suposta sede do Califado Islâmico...

Dez países árabes anunciaram que estão a participar de uma coalizão liderada pelos [globalistas] EUA contra os militantes do 'ISIS' (conhecido como Estado Islâmico).

Em uma declaração conjunta, Arábia Saudita, Bahrein, Egito, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbano, Omã, Qatar e os Emirados Árabes Unidos, disseram que "farão suas partes" para lutar contra o grupo jihadista que assumiu o controle de grandes áreas do Iraque e da Síria.

O desenvolvimento representa um grande sucesso diplomático para o secretário de Estado dos EUA John Kerry, que embarcou em uma viagem ao Oriente Médio para fazer lobby por uma maior participação árabe na luta contra os extremistas.

De fato, alguns dos dez Estados têm relações diplomáticas tensas devido à suas rivalidades em outras questões regionais. Qatar e o apoio da Irmandade Muçulmana da Turquia, por exemplo, colocam os dois países em conflito com a Arábia Saudita, Emirados Árabes e Egito.

O anúncio veio depois que Kerry reuniu delegados de dez países na sede de verão do governo saudita de Jeddah.
O grupo de Estados disse que avaliaram os planos para erradicar o EI "onde quer que estejam, incluindo no Iraque e Síria" e se comprometeram a participarem de "muitos aspectos de uma campanha militar coordenada" contra a organização militante.

Eles também prometeram apoiar o novo governo iraquiano e interromper o fluxo de fundos e combatentes que têm impulsionado o ISIS no poder.

Representantes da Turquia participaram da reunião, MAS NÃO ASSINARAM O ACORDO (interessante, não!? Pq será heim...?! Claro! O ISIS É APOIADO E É COMO UMA "CRIA" DA TURQUIA! Vai vendo!) o acordo, e se recusou a deixar a coalizão a usar suas bases para lançar ataques aéreos no Iraque e na Síria.

"A Turquia não estará envolvida em qualquer operação armada, mas estará totalmente concentrada em operações humanitárias", disse um porta-voz do governo falando em condição de anonimato, disse à AFP.

Mais cedo, a Rússia condenou o plano de Washington de alvejar os militantes na Síria, dizendo que iria considerar os ataques aéreos um "ato de agressão", se realizada sem um mandato da ONU e da aprovação do regime do presidente da Síria, Bashar al-Assad.

Os EUA já lançaram ataques aéreos limitados no Iraque a pedido do ex-primeiro-ministro iraquiano Nouri al-Maliki.

O ISIS lançou sua ofensiva contra o Iraque a partir de sua "central" norte-leste da Síria, capturando cidades-chave sunitas e cidades como Mosul e Tikrit. Ele já declarou um "califado" que fica na fronteira do Iraque-Síria e representa uma massa maior que a do Reino Unido.

Segundo a ONU, mais de 1,6 milhões de pessoas foram deslocadas pelo conflito no Iraque neste ano, enquanto 850 mil pessoas fugiram de suas casas só em agosto.

Por Alfa Luís

PARTICIPAÇÃO
Os leitores podem colaborar com o conteúdo do UL enviando notícias, fotos e vídeos
(de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, Envie sua Notícia para uniaodoslivres@hotmail.com
***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***

Via: http://www.ibtimes.co.uk/

Nenhum comentário