Artistas plásticos causam polêmica ao usarem bonecos Ken e Barbie para representar Jesus e Maria Madalena, entre outros

Share:


As artistas Piscina Paolini e Marianela Perelli estão gerando revolta na Argentina por causa de suas novas obras. Elas criaram versões religiosas da Barbie e de seu companheiro Ken. A boneca aparece nas “versões” Virgem Maria, Maria Madelana e Nossa Senhora Aparecida. Por sua vez, o Ken ganha forma de São Caetano, São Roque, mas a imagem de Jesus Cristo crucificado foi a que mais irritou os religiosos.

“Utilizamos o humor para ressaltar a desconexão com o universo histórico, político e religioso, que é uma ficção”, afirmam as artistas. Contudo, católicos e evangélicos argentinos reclamaram que as “obras” dessas artistas fazem piada das imagens sagradas.

Os bonecos não serão vendidos, pois as criadoras não tem autorização da Mattel, dona da marca Barbie e Ken. Elas reconheceram que sabiam que gerariam polêmica. Contam ainda que não foram procuradas pela Mattel, mas sofreram ameaças de processo da igreja católica de San Juan, pois elas usaram sem permissão a imagem das santas que são patenteadas.



Contam ainda que no passado fizeram versões de bonecas retratando personagens famosos na Argentina, como o jogador de futebol Diego Maradona, o ex-presidente Juan Domingo Perón e a esposa Evita, até mesmo do Papa Francisco. Nunca tiveram problemas por causa disso. Piscina declarou ainda que elas “nada têm contra as religiões” e que não pretendem fazer outras representações, como do profeta Maomé, pois sabem que o Islã as considera ofensivas ao profeta.



Por causa da repercussão, as duas artistas plásticas foram procuradas por diferentes galerias de arte, interessadas em fazer mostras com as bonecas e outras obras de sua autoria. 

PARTICIPAÇÃO
Os leitores podem colaborar com o conteúdo do UL enviando notícias, fotos e vídeos
(de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, Envie sua Notícia para uniaodoslivres@hotmail.com
***DEIXE SEU COMENTÁRIO ***

Via: BBC, Gospel Prime e Gospel Mais

Nenhum comentário