Publicidade

Últimas Notícias
recent

SANÇÕES DOS EUA SOBRE A RÚSSIA PODE AFUNDAR O DÓLAR

A decisão do governo dos Estados Unidos para aplicar mais sanções contra a Rússia é um grave erro


A decisão do governo dos Estados Unidos para aplicar mais sanções à Rússia é um erro grave e só vai agravar uma situação já tensa, em última análise, prejudicar a economia dos EUA em si.Enquanto o efeito das sanções sobre o dólar não pode ser apreciado no curto prazo, no longo prazo, estas sanções são apenas mais um passo em direção a eventual extinção do dólar como moeda de reserva do mundo.
Não é só os EUA sancionar os bancos e as empresas russas, mas também está tentando violentas bancos europeus para decretar sanções duras contra a Rússia também. Dada a quantidade de negócios que os bancos europeus fazer com a Rússia, as sanções europeias poderia prejudicar a Europa, pelo menos tanto quanto a Rússia. Ao mesmo tempo, os EUA esperam cooperação dos bancos europeus, é também perseguir esses mesmos bancos e multando-os bilhões de dólares por violar US existentes sanções. Não é difícil imaginar que os bancos europeus será cada vez mais farto de ter de agir como policiais não pagas pelo governo os EUA, apesar de terem de pagar bilhões de dólares em multas cada vez que eles se envolver em negócios que Washington não gosta.
Os bancos europeus já estão cortando os laços com os cidadãos e as empresas norte-americanas devido ao cumprimento rigoroso exigido pelas leis recém-aprovadas, como FATCA (Lei Conta Foreign Tax Compliance). Em busca do IRS para sugar o dinheiro dos impostos, tanto quanto possível, de todo o mundo, a agência tornou-americanos para os párias do sistema financeiro internacional. Como as cargas dos lugares do governo dos EUA sobre os bancos europeus crescem mais pesado, deve-se esperar que os bancos cada vez mais europeus vão reduzir a sua exposição aos Estados Unidos e ao dólar, acabou deixando os EUA isolados. A tentativa de isolar a Rússia, os EUA realmente se isola.
Outro efeito das sanções é que a Rússia vai crescer mais próxima dos BRICS (Brasil / Rússia / Índia / China / África do Sul) aliados. Esses países contam com mais de 40 por cento da população mundial, têm uma produção econômica combinada quase igual os EUA ea UE, e tem importantes recursos naturais à sua disposição. A Rússia é um dos maiores produtores de petróleo do mundo e abastece a Europa com uma grande porcentagem de seu gás natural. O Brasil tem o segundo maior setor industrial nas Américas e é o maior exportador mundial de etanol. A China é rica em recursos minerais, e é o maior produtor mundial de alimentos. Já a Rússia ea China estão assinando acordos para realizar seu comércio bilateral com suas próprias moedas nacionais, em vez de com o dólar, uma tendência que, se ele se espalha, vai continuar a erodir a posição do dólar no comércio internacional. Talvez mais importante, China, Rússia e África do Sul, juntos, produzem cerca de 40 por cento de ouro do mundo, que poderia desempenhar um papel se os países BRICS decidem estabelecer uma moeda lastreados em ouro para desafiar o dólar.
Políticos americanos não conseguem perceber que os Estados Unidos não é a hegemonia mundial foi após a Segunda Guerra Mundial. Eles não conseguem entender que seus atos arrogantes em relação a outros países, mesmo aqueles considerados amigos, desgastaram severamente qualquer boa vontade que possa ter existido anteriormente. E eles não conseguem perceber que mais do que 70 anos de desvalorização do dólar colocou o resto do mundo no limite. Há uma razão para o euro foi criado, uma razão que a China está se movendo para internacionalizar a sua moeda, e uma razão para que outros países ao redor do mundo buscam negociar pactos comerciais e monetárias. O resto do mundo está cansado de subsidiar enormes dívidas do governo dos Estados Unidos, e cansado de produção e exportação de trilhões de dólares de bens para os EUA, apenas para receber dólares cada vez mais sem valor em troca.
O governo dos EUA sempre contou com a colaboração de outros países para manter a posição de destaque do dólar. Mas a paciência internacional está se esgotando, especialmente porque a abordagem da cenoura e do bastão das últimas décadas tornou-se tudo vara e nenhuma cenoura. Se o presidente Obama e seus sucessores continuar com sua abordagem de mão pesada da cobrança de sanções contra qualquer país que faz os políticos nos algo que não gosta, ela só vai levar a mais países fugindo do dólar e acelerar a queda do dólar na irrelevância.




Tecnologia do Blogger.