Publicidade

Últimas Notícias
recent

Já passam de mais de 1200 pessoas que morreram com ébola

Há um milhão de pessoas em quarentena em vários locais da África Ocidental, que a OMS tem de conseguir alimentar.


Há já 1229 mortos devido ao surto de ébola na África Ocidental, e o número de pessoas infectadas conhecidas é de 2240, o que confirma a mortalidade de cerca de 50%, segundo o mais recente balanço feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Mas há cerca de um milhão de pessoas de quarentena na Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa que é preciso alimentar. A OMS diz estar a trabalhar com o Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas para canalizar alimentos para todas estas pessoas, que vivem em aldeias que foram fechadas para tentar conter o vírus – um método que poderá parecer primitivo mas é o mais eficaz para conter uma infecção para a qual não existe outro tratamento disponível.

“Garantir o fornecimento regular de alimentos é um argumento poderoso para limitar os movimentos da população”, explica a OMS em comunicado. As áreas de quarentena incluem cidades seriamente afectadas como Gueckedou na Guiné-Conacri, Kenema e Kailahun na Serra Leoa e Foya na Libéria.

A Nigéria, o país mais populoso de África, parece estar a conseguir conter o surto, mas a Serra Leoa e a Libéria estão a ter grandes dificuldades. Foi na Libéria, aliás, que houve mais mortes entre 14 e 16 de Agosto – 53 mortos e 48 novos casos (num total de 834 casos e 466 mortos).

Os 17 suspeitos de estarem infectados com vírus ébola que fugiram de um centro de quarentena em Monróvia, a capital liberiana, no fim-de-semana, foram entretanto encontrados nesta terça-feira, depois de as autoridades os terem dado como desaparecidos na segunda-feira. As autoridades não indicaram, no entanto, o local em que estavam. O governo tencionava pôr de quarentena uma comunidade de 75 mil pessoas, por ser o local para onde supunha que estas pessoas teriam fugido.

FONTE: http://www.publico.pt/

Tecnologia do Blogger.