APARTHEID: Polícia mata outro jovem negro no Missouri

Share:

Jovem de 23 anos estava armado com uma faca.
Caso ocorreu perto de Ferguson, onde negro foi morto pela polícia.

Policiais apontam armas a manifestantes que protestavam na noite desta segunda-feira (19) em Ferguson (Foto: AFP PHOTO / Michael B. Thomas)Policiais apontam armas a manifestantes que protestavam na noite desta segunda-feira (19) em Ferguson (Foto: AFP PHOTO / Michael B. Thomas)
Um jovem negro de 23 anos, armado com uma faca, que andava em direção a policiais no 6º distrito de St Louis, estado de Missouri (centro-oeste dos Estados Unidos), foi morto por dois policiais nesta terça-feira (19).

Segundo o chefe da polícia metropolitana de St Louis, Sam Dotson, o jovem foi encontrado andando agitado na rua, depois de entrar duas vezes em uma loja de conveniência e levar produtos sem pagar, duas bebidas energéticas e alguns muffins. O dono da loja chamou a polícia.

Segundo Dotson, quando o homem foi abordado por dois policiais mostrou a faca. Os policiais pediram para que o jovem largasse a arma, mas ele não obedeceu e disse "Atirem em mim. Matem-me agora".

Então, o jovem se aproximou dos policiais com a faca em mãos, que sacaram suas armas e atiraram.

De acordo com a rede norte-americana NBCNews, pelo menos 100 pessoas se aglomeraram rapidamente ao redor da cena e algumas delas gritaram "Mãos ao alto! Não atire", um slogan dos protestos pela morte de Michael Brown, negro de 18 anos desarmado que foi morto por um policial branco no dia 9 de agosto em Ferguson.

Caso Michael Brown
St Louis fica próximo de Ferguson, que vive onda de protestos e a violência por causa da morte de Brown.
A polícia alega que Brown tentou retirar a arma do agente no momento dos tiros. Mas testemunhas afirmam que quando recebeu os tiros, o jovem estava com as mãos para o alto, sem opor nenhuma resistência.
Manifestantes protestam em Ferguson na noite desta segunda-feira (19) contra a morte do jovem Michael Brown pela polícia (Foto: AFP PHOTO / Michael B. Thomas)Manifestantes protestam em Ferguson na noite desta segunda-feira (19) contra a morte do jovem Michael Brown pela polícia (Foto: AFP PHOTO / Michael B. Thomas)
Três autopsias foram solicitadas, em uma prova da importância da tentativa de elucidar o incidente. Uma foi pedida pelas autoridades locais, outra pela família e uma terceira pelo Departamento de Justiça.
O exame solicitado pela família revelou que o jovem foi atingido pelo menos seis vezes e que uma das balas entrou no topo do crânio de Brown, sugerindo que sua cabeça estava inclinada para frente no momento em que foi atingido.

A autópsia feita pelo condado de St. Louis revelou que Brown recebeu de seis a oito tiros e foi atingido na cabeça e no peito.

Novos incidentes
Na noite desta segunda, duas pessoas foram feridas a tiros e 31 detidas em uma nova noite de violência na cidade de Ferguson. Esta foi a primeira noite após a decisão do governo de enviar a Guarda Nacional para a cidade.

A polícia informou que um pequeno grupo de manifestantes atirou e lançou pedras e coquetéis molotov contra os agentes, que responderam com gás lacrimogêneo.

Segundo o chefe de polícia de Fergurson, Ronald Johnson, os agentes não abriram fogo. As autoridades não informaram o estado de saúde dos feridos. Quatro policiais foram feridos por objetos lançados pelos participantes no protesto.

Nenhum comentário