Publicidade

Últimas Notícias
recent

URGENTE: Serra Leoa decreta estado de emergência por ebola

País registrou 233 mortes pela infecção desde março. Oeste da África enfrenta a pior epidemia da doença desde a descoberta do vírus, em 1976

Equipe do 'Médicos Sem Fronteiras' entregam comida para os pacientes mantidos em uma área de isolamento no centro de tratamento do Ebola, Serra Leoa. O país registra agora o maior número de casos da doença - 454, superando vizinho Guiné, onde o surto teve origem em fevereiro deste ano
Equipe do Médicos Sem Fronteiras entrega comida para os pacientes mantidos em uma área de isolamento do centro de tratamento do Ebola, em Serra Leoa (Tommy Trenchard/Reuters/VEJA)
O presidente de Serra Leoa, Ernest Bai Koroma, decretou nesta quinta-feira estado de emergência diante da epidemia do vírus ebola que atinge o oeste da África. O país registrou, neste ano, 233 mortes pela doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O surto, o maior da história, também afeta Guiné, Libéria e Nigéria. Juntos, os quatro países já notificaram mais de 1.300 infecções e 729 óbitos por ebola desde março.


Em um discurso transmitido pela televisão, Koroma disse ter decretado estado de emergência para permitir que o governo tome "medidas mais firmes contra a epidemia do ebola". O presidente anunciou que colocará em quarentena as áreas afetadas pelo surto, mobilizará forças de segurança para proteger equipes médicas e proibirá reuniões públicas. Além disso, ele pretende lançar uma busca por possíveis infectados em casas localizadas em regiões endêmicas.

Koroma também anunciou ter cancelado sua viagem na próxima semana à cúpula entre África e Estados Unidos em Washington. Por outro lado, indicou que participará de uma cúpula regional na Guiné para analisar a situação da epidemia junto a representantes de outros países africanos. O presidente ainda declarou que ministros e outros representantes governamentais de Serra Leoa não poderão sair do país, exceto para "compromissos absolutamente essenciais". Segundo Koroma, as medidas anunciadas nesta quinta devem ter duração de 60 a 90 dias.

Leia também:
Entenda por que o surto de Ebola está fora de controle
UE libera 2 milhões de euros para combater ebola na África ​

África — O governo da Libéria, que já registrou 159 mortes por ebola neste ano, também vem anunciando medidas para conter a epidemia. Nesta quarta, as escolas do país foram fechadas e os servidores governamentais foram obrigados a tirar licença para diminuir o risco de contaminação. No domingo, a presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, já havia anunciado o fechamento da maior parte das fronteiras terrestres do país.

O Corpo da Paz dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira a retirada de centenas de voluntários da Guiné, Libéria e Serra Leoa devido ao surto. Uma porta-voz do órgão informou que dois voluntários contraíram o vírus após entrar em contato com uma vítima da infecção. Segundo ele, porém, os americanos não apresentam os sintomas da doença e estão em isolamento sob observação médica. "Quando receberem alta para regressar aos Estados Unidos, trabalharemos com eles para que retornem de forma segura".

Doença — Não existe cura ou vacina para o Ebola. A doença é conhecida por ser altamente transmissível e mortal: a taxa de óbitos entre infectados pode chegar a 90%. O vírus foi descoberto em 1976, ano em que houve 431 mortes pela infecção. Desde então, os principais surtos aconteceram em 1995 (254 óbitos), 2000 (224) e 2007 (224), todos na África. 

Tecnologia do Blogger.