Publicidade

Últimas Notícias
recent

Mais um: Avião com 116 pessoas a bordo cai na África

Aeronave operada pela Air Algérie fazia a rota entre Uagadugu, em Burkina Faso, e Argel, na Argélia, quando perdeu contato com os controladores de voo

Um avião da McDonnell Douglas MD-83 da Swiftair, similar ao desaparecido na África
Um avião da McDonnell Douglas MD-83 da Swiftair, similar ao desaparecido na África (Juan Ferreras/EFE)
(Atualizado às 14h05)
O avião da Air Algérie que havia desparecido enquanto voava de Burkina Faso para Argel caiu, disse um representante da agência argelina de aviação à agência Reuters nesta quinta-feira. "Posso confirmar que o avião caiu", disse o funcionário, sem dar mais detalhes sobre o paradeiro da aeronave ou as causas do acidente. Anteriormente, a companhia aérea espanhola Swiftair informou que perdeu o contato com um de seus aviões operado pela empresa Air Algérie, com 110 passageiros e seis tripulantes a bordo. A empresa comunicou em uma nota postada em seu site que o avião decolou de Burkina Faso, país da costa oeste da África, à 1h17 (22h17 da quarta-feira, no horário de Brasília) e deveria ter aterrissado em Argel, capital da Argélia, às 5h10 (2h10, de Brasília), mas não chegou a seu destino. O avião é um modelo McDonnell Douglas MD-83, segundo informou a empresa.
A emissora francesa BMFTV informou que soldados franceses teriam encontrado destroços da aeronave. A americana Fox News também divulgou esta informação, citando uma fonte do Ministério da Defesa da França. Os destroços teriam sido localizados no Mali. Não houve, contudo, nenhuma confirmação oficial.
Uma fonte da empresa aérea Air Algérie, em declarações anônimas à agência de notíciasFrance-Presse, disse que "o avião não estava muito longe da fronteira argelina quando os comandantes do McDonnell Douglas foram instruídos a fazer um desvio por causa da má visibilidade e para evitar o risco de colisão com outra aeronave na rota Argel-Bamako". Segundo o funcionário, "o contato foi perdido após a mudança de curso". O governo argelino disse em comunicado que os controladores de voo perderam contato com o avião a 1h55 (22h55 de quarta-feira, em Brasília), cerca de 50 minutos após a decolagem, segundo a agência de notícias Algerian Press Service.
"De acordo com os procedimentos padrões, a Air Algérie já iniciou seu plano de emergência", disse um funcionário da empresa citado pela agência argelina de notícias APS. O voo AH5017, entre a cidade de Uagadugu e Argel, é uma rota que funciona quatro vezes por semana, reporta a rede BBC. O primeiro-ministro argelino Abdelmalek Sellal disse a uma rádio local que "o avião desapareceu em Gao [no Mali], a 500 quilômetros da fronteira com a Argélia". As tropas da ONU em Mali afirmaram à BBC que o avião pode ter caído entre Gao e Tessalit. O General Koko Essien, que está liderando as tropas da ONU, disse à BBC que a área no Mali que antecede a fronteira argelina é vasta e pouco povoada. Ele acrescentou que o clima na área tinha sido muito ruim durante a noite.
Nacionalidades – A tripulação de seis pessoas é de nacionalidade espanhola e o voo tinha sido fretado para a Air Algérie por um período de dois meses. Segundo a própria companhia aérea, entre os passageiros tinham 50 franceses (o governo francês afirma que são 51), 24 cidadãos de Burkina Faso, oito libaneses, seis argelinos, cinco canadenses, quatro alemães, dois luxemburgueses, um do Mali, um belga, um da Nigéria, um camaronense, um egípcio, um ucraniano, um romeno, um suíço e três de nacionalidades ainda "em investigação". Em Paris, o Ministério das Relações Exteriores anunciou que emitirá em breve um comunicado sobre as vítimas francesas.
A rede americana ABC News, com informações do aeroporto de Uagadugu, em Burkina Faso, reportou que Mariela Castro, sobrinha do ditador cubano Fidel Castro, estava no avião da Air Algérie. A NBC News, no entanto, desmentiu a informação e relatou que um repórter da rede viu Mariela na Havana.
O desaparecimento do voo AH5017 operado pela Air Algérie acontece um dia após o acidente com o avião da TransAsia Airways, que matou 48 pessoas em Taiwan, e uma semana depois da derrubada do Boeing 777 da Malaysia Airlines no leste ucraniano, que vitimou 298 civis.
Reprodução/Google Maps/VEJA
Rota do voo AH5017
Rota do voo AH5017 da Air Algérie, entre Uagadugu, em Burkina Faso, e Argel, na Argélia
(Com agência Reuters)

fonte: http://veja.abril.com.br
Tecnologia do Blogger.