Publicidade

Últimas Notícias
recent

Apartheid Comunista: 'Se precisar, vão aplicar a força', diz Grella sobre PMs em 'rolezinhos'



Secretário estadual disse que polícia estará pronta para agir em shopping.
Corregedoria apura possíveis abusos de militares em shopping de SP.

OPINIÃO UL: ESSA CRESCENTE ONDA DO TAL "ROLEZINHO" ESTÁ DEIXANDO BEM CLARO QUE É MAIS UMA MANOBRA DO GOVERNO COMUNISTA. NA FALTA DAS MANIFESTAÇÕES USAM JOVENS E ADOLESCENTES EM QUALQUER TIPO DE DELITO. PARECE ATÉ A JUVENTUDE HITLERISTA!

O secretário da Segurança Pública do estado de São Paulo (SSP), Fernando Grella Vieira, defendeu nesta terça-feira (14) o uso da força por policiais militares em caso de tumulto nos chamados “rolezinhos”, encontros marcados por jovens pela internet, principalmente em shoppings da capital. A Corregedoria da PM apura a ocorrência de possíveis excessos por parte dos policiais durante evento no Shopping Itaquera, no último fim de semana.
O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira (Foto: Reprodução / EPTV)Secretário de Segurança Pública de São Paulo em
visita a Campinas (Foto: Reprodução / EPTV)
“Se houver necessidade e precisar aplicar a força, ela [a PM] vai fazer”, afirmou o secretário durante visita a Campinas, onde esteve para acompanhar a investigação dos 12 assassinatos em série cometidos na cidade e cuja autoria é imputada por algumas testemunhas a policiais militares.
Grella foi categórico ao afirmar que não cabe à polícia fiscalizar os centros de compras, mas assegurou que a corporação estará a postos caso seja acionada. “A função da policia é manter a ordem. Não é papel dela fiscalizar shopping. Mas se houver risco iminente ou se for acionada, aí sim, passa a atuar”, falou.
Abuso

Imagens gravadas por frequentadores do Shopping Itaquera mostram um policial militar agredindo com um cassetete jovens que supostamente participavam do "rolezinho" no centro de compras. É possível ouvir barulho de explosões dentro do estabelecimento. A PM negou a utilização deste tipo de artefato.
Em comunicado divulgado nesta segunda (13), a PM afirmou  que, "como os episódios atuais indicam uma forte potencialidade de problemas de segurança, a Instituição está atenta às movimentações de grupos e também tem monitorado as redes sociais para identificar possíveis focos de problemas".
Entenda os rolezinhos - cronologia (Foto: Arte/G1)
O que são os "rolezinhos"?
Desde o fim de 2013, jovens têm organizado encontros pelas redes sociais, principalmente, em shoppings da capital paulista e da Grande São Paulo. Os eventos ficaram conhecidos como "rolezinhos". A primeira iniciativa a ganhar repercussão aconteceu no Shopping Metrô Itaquera, Zona Leste de São Paulo, em 8 dezembro.  Algumas lojas fecharam com medo de saques e o centro comercial encerrou o expediente mais cedo.
Este tipo de encontro em lugares públicos-privados não é propriamente uma novidade em São Paulo. E não começaram especificamente no ano passado. Estacionamentos de supermercados e postos de gasolina também são corriqueiramente ocupados nas noites e madrugadas aos finais de semana por um grupo que quer se fazer ouvir – ou apenas se divertir - independentemente do estilo musical que entoa.
Rolé proibido
Na sexta-feira (10), a juíza Daniella Carla Russo Greco de Lemos concedeu liminar impedindo o "rolezinho" no Shopping Itaquera e estipulando multa de R$ 10 mil para os jovens que desrespeitassem a decisão.
Em seu despacho, ela aponta que a Constituição prevê direito à livre manifestação, mas que ela deve ser exercida com limites. "A Constituição Federal de 1988 estabeleceu diversas garantias fundamentais em seu art. 5º. Entre elas a da livre manifestação, o direito de propriedade, a liberdade do trabalho. O art. 6º, garante, ainda, como direito social, a segurança pública, o lazer, dentre outros. O direito à livre manifestação está previsto na Constituição Federal", afirma a juíza

Fonte: http://g1.globo.com/
Tecnologia do Blogger.